História da Tortura do Peito, como tudo começou!

Tortura de mamilos
Sadomasoquismo: Tortura de mamilos
21 Setembro, 2015
Cerimónia das Rosas
Sabe o que é a Cerimónia das Rosas?
30 Setembro, 2015
Show all
tortura do peito

Tortura do peito é a prática de infligir dor no peito ou mamilos de um submisso. A tortura de mamilos é uma forma de tortura do peito, que todos os praticantes de BDSM e Bondage adoram realizar. Dentro do BDSM, as actividades mais orientadas para os seios vão desde o mais seguro e benigno, como a utilização de molas para a roupa, flagelação leve, ou simples bondage do peito a actividades que podem acarretar grande risco, como varejar, piercing amador, ou ser suspenso pelo peito. É praticado por gays e heteros de ambos os sexos, e as técnicas mais gentis são muito populares nas encenações Sadismo e Masoquismo.

 

As bases da Tortura do Peito

Apesar de estar documentado que a tortura não-consensual das mulheres tem sido comum tanto na sociedade moderna como no passado. O termo inglês “tit torture”, neste contexto, é aplicado a actividade sexual consensual. É discutível que muitas fantasias sexuais, incluindo as que envolvem tortura do peito reflictam um desejo de usar um parceiro sem temer as consequências, independentemente da intensidade com que é utilizada.

Nunca sendo demais relembrar que todo o tipo de actividades sexuais praticadas nos dias que correm, podem e devem de ser consensuais, e nunca descorando da parte de segurança, nunca tenha este tipo de actividade sem antes ser definida uma palavra de segurança!

Pessoas racionais entendem que não passa disso – uma fantasia sexual – e que muitas destas fantasias podem ser encenadas em segurança, de forma sã, e de forma divertida para ambos os parceiros. Este tipo de fantasia sexual quando praticada de forma segura pode até mesmo provocar o orgasmo sem que seja necessário sequer penetração!

Num contexto erótico, tanto o que inflige a dor como o que a recebe retira algum tipo de prazer da experiência. Em muitos casos, as mulheres sentem um prazer físico acrescido resultante da libertação de endorfinas na corrente sanguínea. O prazer pode ser psicológico, provocado pela sensação de ser controlada por outro indivíduo e/ou do prazer que o outro indivíduo retira da experiência. Tanto num caso como noutro, podemos denotar uma relação de dominador e submisso, não importando qual o papel assumido, tanto pelo homem como pela mulher, tendo em conta, que é frequente que os papéis sejam invertidos, pois nem sempre o homem tem que ser o dominador!

O indivíduo que “castiga” pode degustar do poder que detém sobre o seu parceiro, ou pode simplesmente apreciar satisfações sensuais mais básicas, como ver os seios da “vítima” a saltitar, ou a simples erecção de um mamilo entre os dentes de uma mola, sentir os seios entre os dedos que as apertam, ou os mamilos a endurecerem quando são beliscados, ou ouvir os gemidos da “vítima” à medida que os seios são passados com um cubo de gelo, ou quando cera quente é aplicada logo de seguida em cima das aréolas gélidas. Qualquer um destes cenários é uma excelente forma de provocação de dor, prazer e de êxtase final!

Ambos podem desfrutar de encenações sexuais; podem encenar o sonho latente de um dominante que deseja ser um vampiro fixado em mamilos, ou realizar a fantasia de “violação” de um submisso. Seja como for, na maioria dos casos, o prazer resulta de uma combinação destes factores físicos, emocionais, e psicológicos.

 

História da Tortura do Peito

A tortura do peito tem sido usada ao longo da história, tanto como tortura pura como num contexto mais sexual.

Já desde 300 B.C. que livros como o Kama Sutra discutiram o que mais tarde seria conhecido como sadismo e masoquismo reconhecer que beliscar, mordiscar, e flagelar as parte mais erógenas do corpo era encorajado desde que fosse feito com consentimento. Denote-se que o facto de ser consensual e permitido é algo extremamente importante, tanto no BDSM como no Bondage, pois só assim se poderá atingir o verdadeiro prazer!

O Kama Sutra chegou ao ponto de dar nome a todos os tipos de mordiscadas e arranhões, incluindo os que eram aplicados aos seios e mamilos.

Está documentado que a tortura que foca nos seios foi usada durante a Inquisição Espanhola. Atenção era dada particularmente aos seios e mamilos de forma a extrair confissões de alegadas bruxas. Durante esta altura, manuais de tortura como o Malleus Maleficarum faziam referência explícita ao peito como objecto de tortura. Equipamentos como o estripador de seios foram concebidos especificamente para os seios e aplicados como tal, posteriormente foram construídos objectos de tortura de peito específicos para dar prazer.

tortura do peito

Outras referências históricas incluem as obras e alegadas práticas do Marquês de Sade. No seu livro, 120 Dias de Sodoma, existem dezenas de referências a tortura do peito, algumas extremamente brutais. Mas tal como é conhecido o grande Marquês de Sade, maioritariamente pelos seus devaneios e torturas absolutamente surreais.

A tortura dos seios foi documentada durante a Segunda Guerra Mundial e na escravatura sexual das “mulheres de conforto” japonesas.

No âmbito da erótica, a tortura do peito tem crescido em popularidade graças à internet. Existem milhares de sites que incluem tortura do peito como parte do seu conteúdo, e até alguns sites que se especializam exclusivamente na sua prática.

 

Tortura do Peito como obtenção de prazer

São vários os métodos conhecidos para a tortura de peito ou de mamilos, mas entre os mais famosos na história do BDSM, podemos ter como principal referencia o binding de seios (técnicas diversificadas de amarração e tortura do peito e dos seios, modo incutido é principalmente o uso de fita-cola que ajuda ao aperto do peito, entre o qual também a própria anatomia do corpo permite algum tipo de prazer para o dominador), flagelação (serão tidas em conta vários tipos de flagelação, mas a mais conhecida definitivamente são as palmadas e o uso de dedos para tornar o mamilo erecto, o simples toque poderá realizar esse tipo de realização sexual), clamping (que para muitos dos iniciantes e para os verdadeiros amantes de tortura é uma das melhores formas de atingir o verdadeiro prazer e observar o desenvolver de um êxtase que perdura durante toda a actividade sexual). A obtenção de prazer através da tortura de peito é conhecida e praticada por muitos nos quatro cantos do mundo!

Lady
Lady
Quero-vos mostrar o mundo alternativo do BDSM. A tortura são o meu prazer e a humilhação um orgasmo garantido!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *